siga-nos rdn
RSS RDN
SIGA-NOS Email
Facebook rdn
Facebook rdn
Google+
http://rdngbissau.com/noticias/crise-politica-paigc-acusa-jomav-sequestrar-sede-forjar-negociacao-deputados-dissidentes/
YouTube radio nacional
LinkedIn
Instagram

O líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira, acusou essa tarde o Presidente da República, José Mário Vaz, de ‘sequestrar’ a sede do partido com o intuito de obrigá-lo a negociar com os deputados dissidentes da sua bancada parlamentar, conhecido por “grupo dos 15”.

Simões Pereira falava ao jornal O Democrata numa conferência de imprensa realizada numa das unidades hoteleiras da capital Bissau, para demostrar a indignação do partido em relação ao sequestro da sua sede nacional a mando do ministro do Estado do Interior, do governo demitido, Botche Candé e que consequentemente acabou por adiar o início do IX Congresso Ordinário que devia iniciar hoje, 30 de janeiro 2018.

O presidente do PAIGC informou que as forças policiais a mando do ministro do Interior do governo demitido, Botche Candé, assaltaram na madrugada desta segunda-feira, a sede do seu partido, tendo revelado que durante a operação de assalto à sede, os militantes que se encontravam nas imediações foram agredidos, alguns escorraçados e outros detidos.

O político explicou que a proteção que havia sido garantida pela CEDEAO através da força do ECOMIB no país não se fez presente e não só, como também se mantêm em silêncio, sem qualquer reação.

“Alegação do Ministério do Interior pela voz do seu Comissário geral Adjunto é de que tinha na posse de três mandados de providências cautelares proferidos por juízes de tribunais de Buba, Bissorã e Bafatá. De Buba não saiu nenhum processo e conforme palavras do presidente do Tribunal Regional, qualquer documento exibido só pode ser tido forjado e não tem nenhuma validade. De Bafatá, o juiz titular do processo já produziu um despacho de esclarecimento do seu despacho inicial e esclarece que em nenhum momento visou o congresso do PAIGC, assim deu conta de algumas situações registadas durante as conferências de base e que não configuram nenhuma situação de violação”, notou.

Quanto a Bissorã, contou que o juiz produziu um despacho que suspende a sua medida anterior e que o Ministério de Interior vem recusando receber a tal nota, violando assim a Constituição e das leis internas do país. O líder do PAIGC questionou a forma como os militantes que se sentiram lesados por decisões internas do partido, recorrem às instâncias judiciais sem fazerem uso dos recursos internos através do Conselho Nacional de Jurisdição.

“Como é que a força do ECOMIB, com mandato para garantir segurança dos titulares dos cargos públicos pode condicionar a sua atuação a um pedido formal dum governo que está ao serviço de um grupo de interesse”, questionou.

Informou que durante uma audiência que o Chefe de Estado guineense concedeu a elementos da Comunidade Internacional, José Mário Vaz teria dito que a situação que se regista na sede dos libertadores é a questão judicial e afasta hipótese de intervir no assunto.

“O Presidente disse aos elementos da Comunidade Internacional para virem pedir a Domingos Simões Pereira para se sentar com Braima Camará, a fim de poderem se entender e depois tudo será resolvido”, contou o líder dos libertadores, que entretanto, exortou o Presidente José Mário Vaz, a mandar levantar o cerco à sede do partido, sob pena de ser considerado “um fora de lei”, ou seja, que não merece e nem deve ser respeitado pelos cidadãos.

4 Replies to “Crise Política: PAIGC ACUSA JOMAV DE SEQUESTRAR SEDE PARA FORJAR NEGOCIAÇÃO COM DEPUTADOS DISSIDENTES”

  1. Just desire to say your article is as astounding.
    The clearness to your submit is simply nice and i could suppose you are knowledgeable on this subject.
    Well along with your permission let me to snatch your feed to stay up to
    date with coming near near post. Thank you one million and please carry
    on the rewarding work. https://Caferule.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.